• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Ato Unificado do 1º de maio foi o primeiro esquenta rumo à Greve Geral

A GREVE GERA está marcada para o dia 14 de junho

Publicado: 02 Maio, 2019 - 20h10 | Última modificação: 03 Maio, 2019 - 14h05

Escrito por: Silvia Marques

notice

O Dia internacional dos trabalhadores e das trabalhadoras, neste 1º de maio, em Cuiabá foi marcado pelo Ato Unificado organizado pela Central Única dos Trabalhadores de Mato Grosso (CUT/MT), demais Centrais, movimentos sociais e partidos políticos. A manifestação, realizada na Praça Cultural do  Bairro Jardim Vitória, teve início às 16h e contou com apresentações culturais e espaço para a criançada.

Segundo o presidente da CUT/MT, João Dourado, o evento foi o primeiro esquenta rumo a GREVE GERAL, marcada para o dia 14 de junho. “Vamos derrotar essa proposta de reforma de previdência que acaba com o direito na rua, junto com o povo. Vamos parar o País até que essa famigerada reforma seja derrotada”, afirmou.

Para o presidente do Sindicato dos Bancários de Mato Grosso (Seeb/MT), Clodoaldo Barbosa, a proposta de reforma da previdência é nefasta para classe trabalhadora, ela irá aumentar a pobreza e aumentar a lucratividade dos bancos. “Proposta aumentará a idade para se aposentar, vai desvincular o benefício da seguridade social do salário mínimo, e implementar um sistema de capitalização privado, o que favorece apenas os banqueiros que já lucram cada vez mais com a crise econômica do país” afirmou lendo a faixa que estava que esticada na Praça Cultural  “Aposentadoria é direito, não é produto bancário”.

A deputada Federal, Rosa Neide, lembrou que a promessa feita quando Temer encaminhou em 2017 a Reforma Trabalhista ao Congresso, era de que sua aprovação produziria a geração de mais de 6 milhões de empregos. “Mentira. De lá para cá o desemprego não parou de subir. Já são mais de 13 milhões de desempregados e 5 milhões de desalentados, pessoas que desistiram de procurar trabalho. Um recorde. Uma tragédia”, afirmou.

“Agora vem Bolsonaro contar outra mentira, a de que a “Reforma” da Previdência vai fazer o País voltar a crescer e gerar empregos. O que fará o Brasil voltar a crescer e produzir oportunidades ao povo é o investimento, mas esse governo só sabe cortar. E agora querem cortar a aposentadoria dos que ganham até dois salários mínimos. E isso nós não vamos permitir. A deputada Professora Rosa Neide jamais votará contra os direitos do povo”, completou.

Os representantes do Sintep/MT e do Sintuf/MT, ambos anunciaram a Greve Nacional da Educação convocada para o dia 15 de maio pela Confederação Nacional da Educação (CNTE). “O Dia Nacional de Luta da Educação será uma paralisação nacional  importante para a construção da greve geral da classe trabalhadora brasileira”, explicou o presidente do Sintep/MT, ValdeirPereira

Além da CUT e demais Centrais Sindicais, o ato unificado contou com a participação do Movimento dos Sem Terra (MST), Partido dos Trabalhadores (PT), Partido Comunista do Brasil (PCdoB), Partido da Causa Operária (PCO), Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), Partido Comunista Brasileiro (PCB), Levante Popular da Juventude, Comunidades Eclesiais de Base (CEB),  Fórum de Direitos Humanos e da Terra, Fórum Sindical e Fórum Permanente de Defesa da Saúde Pública entre outras entidades.

 Lançamento da Coleta de Assinaturas

Durante a manifestação foi feita a coleta de assinaturas contra a reforma da Previdência. A coleta de assinatura é uma das estratégias para barrar esse desmonte do sistema previdenciário. 

A ação tem o objetivo de dialogar com a população sobre as consequências nefastas da Proposta de Emenda à Constituição (PEC006/2019), que dificulta o acesso à aposentadoria e reduz o valor do benefício, e, ao mesmo tempo, coletar as assinaturas que serão enviadas ao Congresso Nacional. 

O abaixo-assinado será entregue ao Congresso em maio.  Os formulários do abaixo-assinado podem ser acessados aqui.  Após a coleta de assinaturas, os formulários assinados podem ser entregues no sindicato ou na CUT MT, que encaminhará o documento final para a sede da CUT em Brasília. 

Confira as fotos Aqui