• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Carreata ocupa ruas de Cuiabá por vacina, auxílio emergencial e impeachment

Cerca de 450 carros participaram da Carreata pelo 'Fora Bolsonaro'

Publicado: 25 Janeiro, 2021 - 15h35 | Última modificação: 25 Janeiro, 2021 - 15h48

Escrito por: Sintep/MT

Edevaldo José
notice

O final de semana foi marcado por manifestações em todas as regiões do país, pedindo o fim do governo Bolsonaro. Em Cuiabá o protesto reuniu, na manhã de sábado (23), cerca de 450 carros numa carreata que teve como ponto de partida a Universidade Federal de Mato Grosso.
O presidente da Central Única dos Trabalhadores em Mato Grosso (CUT-MT), que também integra o quadro de diretores do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT), Henrique Lopes, falou sobre a postura irresponsável do atual governo na condução de ações no combate à pandemia. “Vimos desde o princípio dessa crise sanitária mundial, com a disseminação do novo coronavírus, um posicionamento negacionista em relação à ciência, e uma inércia quanto às ações que deveriam ser tomadas desde o início da pandemia, para minimizar os danos e as mortes de milhares de brasileiros”.


Conforme Henrique, o governo Bolsonaro já cometeu diversos crimes de responsabilidade e se mostra intransigente, com ataques ao principal parceiro comercial do país, a China, e o não cumprimento de acordos comerciais com a Índia, que atrasaram a entrega das vacinas Coronavac e da Oxford. Lembra também, as queimadas na Amazônia e no Pantanal, o estímulo dado a invasores de terras, grileiros e exploradores ilegais da floresta ao impedir e restringir a fiscalização de agentes públicos. “Esses são apenas alguns exemplos de como a gestão de Bolsonaro tem sido genocida com o povo brasileiro”.
Henrique destaca que, “Infelizmente, são nos momentos de crise como este em que a sociedade consegue abrir os olhos e perceber que esse presidente não tem condições de gerir o nosso país”.
Entre as reinvindicações feitas pela carreata, além do impeachment de Bolsonaro, os manifestantes cobraram o acesso à vacina contra o novo coronavírus para todos/as e a manutenção do auxílio emergencial para as pessoas em vulnerabilidade social. O protesto faz parte da agenda nacional de luta convocados pela Frente Brasil Popular, Povo Sem Medo, com o apoio da CUT e sindicatos filiados.
“Estamos travando uma luta histórica pela defesa dos direitos e da pluralidade do povo brasileiro. Temos a certeza de que, somente com o fim desse governo autoritário e irresponsável, nosso país poderá voltar a crescer, a gerar emprego e renda”, finalizou Henrique Lopes.

Fonte: Assessoria/Sintep-MT