• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

GT de Saúde do Itaú conquista avanços

O Grupo de Trabalho (GT) de Saúde do Itaú conquistou o parcelamento do adiantamento de salário aos trabalhadores afastados

Publicado: 16 Dezembro, 2019 - 16h48 | Última modificação: 16 Dezembro, 2019 - 20h09

Escrito por: SEEB-MT

SEEB-MT
notice

O Grupo de Trabalho (GT) de Saúde do Itaú conquistou o parcelamento do adiantamento de salário aos trabalhadores afastados.

O secretário de formação político-sindical, socioeconômica e de pesquisa do Sindicato dos Bancários de Mato Grosso (SEEB/MT e suplente da Comissão dos Empregados do Itaú (COE/Itaú/Fetec/Cn), Natércio Brito, participou da reunião, realizada na manhã desta quarta-feira (11), em São Paulo.

O Banco atendeu duas reivindicações do movimento sindical e apresentou as propostas de parcelamento do endividamento dos trabalhadores afastados e de agilidade na entrega dos atestados.

A proposta do banco apresentada, em reunião, varia de 3 a 12 vezes dependendo da quantidade de salários envolvidos na dívida do trabalhador. Caso o valor não seja quitado na folha, poderá ser descontado de até 50% do pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). Anteriormente, o banco descontava toda a PLR.

“Este avanço é importante porque o trabalhador, ao se afastar, mantém seus compromissos financeiros, que somados com os gastos do tratamento, os deixa sem condições de quitar esta dívida de uma vez só. No retorno, além de lidar com o sofrimento causado pela doença e com a dificuldade da readaptação, muitas vezes recebia os primeiros contracheques zerados”, Luciana Duarte, coordenadora do GT de Saúde.

“Outro avanço conquistado foi que os atestados até quatro dias de afastamento poderão brevemente ser enviados diretos para a área de licenças pelo IU Conecta, que é o aplicativo dos funcionários do banco. O movimento sindical reivindica a ampliação deste serviço para afastamentos de 15 dias ou mais, para facilitar a vida do trabalhador”, avalia Natércio.

Os termos serão enviados pelo banco ao movimento sindical que fará avaliação final antes da assinatura do acordo. Será criado um grupo de trabalho bipartite para operacionalização.

A secretária de assuntos de saúde e condições de trabalho do SEEB/MT e funcionária do Itaú, Italina Facchini, comemorou o resultado da reunião. "São reivindicações apresentadas pelo movimento sindical, desde 2016. Quando nós convencionamos as cláusulas de antecipação salarial e a do salário emergencial é justamente para que esse trabalhador consiga pagar seus compromissos num momento de dificuldade de saúde. Não faz o menor sentido gerar uma dificuldade financeira para ele, depois de um período tão difícil”, afirma a secretária de assuntos de saúde e condições de trabalho.

Com informações CONTRAF-CUT